terça-feira, 25 de setembro de 2012

Não peças

"Не верь, не бойся, не проси" [ne ver' | ne bóicia | ne proсí ] "Não confies, não temas, não peças", - cantaram quase 10 anos atrás as meninas da banda t.A.T.u. Não foi nenhuma delas quem inventou esse provérbio russo. Foram prisioneiros comuns que inventaram. Também os escritores Varlam Shalamov ("Relatos de Kolimá", 1955) e Alexander Soljenítsin ("Arquipélago Gulag", 1967) contaram sobre esta tradição de prisões para leitores. O Soljenítsin escreveu, que este foi um provérbio do norte da Rússia. Talvez ele estava certo, porque o provérbio significa 'faças tudo para guardar a sua independência', é só lembrar da república democrática de Novgorod ou do fato que поморы [pomory] - pomores (moradores do litoral do mar Branco) nunca tiveram escravidão. Ou talvez ele estava errado, porque a liberdade verdadeira não tem nada a ver com a desconfiança como um jeito de viver? Quem sabe...
Mais uma coisa. Para russos, pedir ajuda é uma vergonha. Se uma pessoa pediu ajuda, ela é fraca, ela não é digna, ela não é modesta. "Olá, gente, preciso ajudinha", "Oi, posso te adicionar na rede social? Preciso a sua ajuda" são as frases que seria melhor esquecer falando com russos. Eles odeiam a palavra "ajuda" direta embora que eles gostam de ajudar. Precisa falar disso indiretamente, ou ajudar mesmo e só depois pedir ajuda necessária. Não peças diretamente então. Não peças logo também. Não gostaste? Mas a boa notícia é que não há diferença entre imperativo positivo e imperativo negativo de verbos em russo, exceto a partícula negativa "не". "Confia, teme, pede" é "верь, бойся, проси".